Destaques

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Será que você já teve Depressão Pós-parto?

Depressão Pós-Parto - Baby Blues


Ontem eu estava lembrando quando a Sophia ainda era bebezinha.. lembrando também quando cheguei com ela da maternidade.. E fiquei refletindo sobre esse assunto.
Os 3 primeiros meses é de muita adaptação. Enquanto eu estava grávida, eu me sentia no conto de fadas, vivendo algo mágico, que sempre sonhei e ficava esperando ansiosa pelo grande dia, de ver o rostinho dela, de pegar nas suas mãozinhas.. 
Mas aí vem o "choque" de realidade. Eu madruguei na maternidade, e quase nem descansei, tive muita dificuldade em amamentá-la, só foi melhorar depois de 1 mês amamentando. Eu tinha muita, mas muita dores nas costas, que precisei tomar medicamento forte. 
E toda essa mudança na minha rotina, a responsabilidade de ter um bebe, o sono, cansaço.. porque minha mãe veio somente nas primeiras semanas me ajudar com a casa. Acho que tudo isso contribuiu para eu sentir uma tristeza que não entendia o motivo. Me lembro que na madrugada, amamentando a Sophia, eu chorava tanto.. era uma tristeza, não pela minha filha, mas pela responsabilidade, por não conseguir dormir, por medo do "novo", de não conseguir dar conta, pelo cansaço que era muito grande.
Sem falar que, os familiares insistindo em visitas e criticando o fato de você não conseguir da atenção  a eles.. sem ao menos entender o que você está passando, meu seios sangrava, e eu sentia muita dor, não entendiam que você está sem dormir a dias.. fora os palpites.. enfim, tudo isso só aumenta a tristeza.
Mas isso com o tempo foi passando e fui me adaptando e curtindo de forma mais leve.
Pesquisei sobre o assunto, e vi que é normal algumas mães se sentirem assim nesses primeiros meses.
  • É comum a mulher apresentar uma certa tristeza e irritabilidade no pós-parto (devido a cansaço, descarga hormonal, etc…). Essa tristeza costuma iniciar três dias após o nascimento do bebê, atingir seu ponto máximo no quinto dia, e, por fim, diminuir e cessar até o décimo ou décimo quinto dia (ou, no máximo, até três semanas). Essa tristeza comum é conhecida por Blues Post Partum ou Baby Blues. Já quando se trata de um quadro que pode vir a ser diagnosticado como depressão, essa tristeza, em vez de diminuir, tende a aumentar com o passar do tempo, durando semanas ou até meses, transformando significativamente a vida dessa mãe e podendo levar até ao descaso com o bebê ou ao suicídio.
  • De acordo com estatísticas americanas, de 10 a 15% das mulheres apresentam quadros de depressão pós parto (e não apenas a tristeza comum que é normal acometer a parturiente).
  • Mulher com história de depressão no passado, seja relacionada ou não com o parto, ou depressão durante a gravidez (quadro menos frequente, mas também possível) está mais sujeita a desenvolver transtornos depressivos. Alguns fatos, por exemplo gravidez não desejada ou não planejada, causam aumento do estresse ao longo da gestação e podem contribuir para o aparecimento do problema. (Fonte: https://drauziovarella.com.br/Depressão Pós-Parto)
Alguns sintomas da Depressão no pós-parto:
  • Tristeza constante;
  • Sentimento de culpa;
  • Baixa auto-estima;
  • Desânimo e cansaço extremo;
  • Pouco interesse pelo bebê;
  • Incapacidade para cuidar de si e do bebê;
  • Medo de ficar sozinha;
  • Falta de apetite;
  • Falta de prazer nas atividades diárias;
  • Dificuldade para pegar no sono.
As pessoas podem ter:
  • No humor: ansiedade, ataque de pânico, culpa, descontentamento geral, desesperança, mudanças de humor, perda de interesse, perda de interesse ou prazer nas atividades, raiva, solidão ou tristeza
  • No sono: insônia, pesadelos ou privação de sono
  • No corpo: fadiga, inquietação ou perda de apetite
  • No comportamento: choro, irritabilidade ou isolamento social
  • Na cognição: falta de concentração, pensamentos indesejados ou transtorno de pensamento
  • Sintomas psicológicos: depressão, medo ou repassando pensamentos repetidamente
  • No peso: ganho de peso ou perda de peso
Onde eu quero chegar com tudo isso? Quero dizer que depressão pós-parto existe sim, faz sofrer e pode ser prejudicial para a mãe e o bebe. Se você tem alguns ou vários dos sintomas que coloquei acima, e isso persiste por muito tempo, é melhor procurar ajuda.

Não é nenhuma vergonha ou fraqueza assumir isso, simplesmente é algo que acontece e que precisa de tratamento, caso persista por muito tempo.
Graças a Deus o que tive foi algo normal, pela mudança de rotina, pelo cansaço e conforme fui me adaptando, isso foi passando e fiquei super bem.
Mas procure sempre um profissional!

Beijos, Natália Vargas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, deixe aqui seu Comentário!! Beijosss